Entrevista do Dr. Russell Norman Champlin


Estimado Irmão Acir,

Recebi sua carta datada de 17 de fevereiro que levou nove dias para chegar. Mando esta resposta com uma cópia. Também vou enviar uma cópia para Júlio.

1. Muito obrigado por ter promovido meus interesses com a Editora Hagnos. Prometeram publicar a Odisseia “no segundo semestre” de 2012 que poderia ser julho – ou qualquer mês até dezembro. Mauro e Marilene, sua esposa, têm sido muito energéticos com sua Editora e as vendas da Trilogia (comentários sobre o AT e o NT e a Enciclopédia) têm sido espetáculares, felizmente.

2. Tenho uma obsessão no assunto Experiências Perto da Morte (e sob este título a Enciclopédia conta com um artigo). Também são chamadas de Experiências Quase-Morte (EQMs). Nestas histórias temos uma valiosa confirmação científica da existência da alma e sua sobrevivência da morte biológica. Muitos evangélicos as rejeitam porque o amor de Deus brilha mais fortemente do que eles pensam ser possível considerando certas Escrituras que parecem falar o oposto. Eles estão apostando na vitória do fogo. Aqui eu, alegremente, fico com a luz da ciência. Se quiser tentar promover publicação desse material, faça o que pode. Sem dúvida, neste caso, qualquer publicador quereria um número menor, talvez selecionando algumas dentre as que enviei.

3. A doutrina do fogo eterno se originou na teologia helenista dos judeus (o período entre o AT e o NT) e é um reflexo da obsessão dos judeus daquele tempo de ver o fogo de Deus destruir seus inimigos. Os primeiros textos que contém essa diabólica doutrina se encontram no livro pseudepígrafo de I Enoque (em diversos lugares). Daí no livro apócrifo que se chama II Esdras, esta ideia de um Deus destruidor aparece nos capítulos 7 e 8. Infelizmente, esta doutrina irracional e brutal entrou no NT em alguns lugares como no primeiro capitulo de II Tes e no Apocalipse. Esta incorporação fora muito infeliz e enganadora. É uma distorção de qualquer um que pára para pensar um pouco, e demonstra o uso indevido de textos prova (das Escrituras) para comprovar qualquer coisa. Não me sinto responsável por defender essa doutrina a despeito de qualquer número de textos de prova que poderiam ser encontrados. Textos como I Pedro 3.18-4.6 e Efésios 1.9,10 e 4.8-10 olham além dessa doutrina horrível.

4. Sobre a inspiração das Escrituras. Qualquer um que estudou o AT e o NT., versículo por versículo como eu, não acredita que estes documentos não contenham erros e contradições. Estou trabalhando em outro comentário, e tenho passado de novo através do AT e quase todo o NT. Estou, atualmente, na exposição de Hebreus. Em quatro meses, entro de novo no Apocalipse. Este comentário é conciso, mas além das exposições ele apresenta 3.000 ilustrações (histórias, contos). Este Comentário Conciso terá um total de 5.000 páginas sobre o AT e o NT combinado em comparação com as 40.000 páginas dos comentários versículo por versículo. Estas páginas são de computador – fonte 12, não de páginas imprimidas. Será uma publicação inédita neste mundo. E de novo visto opiniões contraditórias sobre algumas doutrinas quando comparando um escritor com outro. De fato, a maior contradição é justamente como o Novo, em pontos críticos, contradiz o AT. Salvação no AT tem uma ideia totalmente diferente. Nesta coleção, a salvação vem através da graça, pela fé. E a lei agora somente mostra claramente a natureza do pecado e, de fato, fica ao lado do pecado para nos condenar – e não tem nada a ver com salvação. Eis uma tremenda contradição e esta contradição se encontra na sua Bíblia. É interessante observar que, numericamente, a maior parte da Igreja ficou com Moisés, especialmente se alinhando com Tiago, capítulo 2, no lugar de Paulo. A Igreja Católica Romana (que tem mais do que um bilhão de membros) se alinha com Tiago (portanto com o AT).

A Reforma Protestante era, essencialmente, uma volta para Paulo. A Igreja Católica além de alinhar com Tiago, preserva, em espírito, os sacramentos e ritos do AT. No NT, existem quatro estágios do Evangelho:

1. Dos Evangelho Sinóticos e Atos
2. Os avanços no Evangelho de João
3. Outros avanços nos livros de Paulo
4. Existe uma situação de contradição em Efésios 1.9-10 e 4.8-10 onde através da missão tridimensional de Cristo (na terra, no hades e nos céus) o Evangelho é universalizado e agora aplica a todas as almas humanas, sem exceção. Tudo será unificado ao redor do Logos-Cristo. 

O fogo do inferno foi apagado; as almas no hades subiram e agora fazem parte da unificação. Todavia, os elementos da unificação são diversos e não se encontram no mesmo nível de glória. Ver ponto 8, a seguir, para explicações desta diversidade unificada. Assim, o ensino do universalismo é evitado. Existirão remidos e restaurados, categorias de glória diferentes. Ver na Enciclopédia o artigo sobre o Ministério da Vontade de Deus.

5. Vamos voltar para o assunto da inspiração das Escrituras. Acredito que todos os livros do cânon foram inspirados pelo Espírito Santo, mas certamente, algumas partes desses livro não foram inspiradas, mas se originaram das mentes dos homens e das suas tentativas de explicar diversas coisas. Mas, note bem: alguns conceitos nestes livros, às vezes, contradizem outros. Isto qualquer pessoa que estuda versículo por versículo vai ser demonstrado amplamente. Considere a contradição óbvia entre Tiago (cap. 2) quando comparado com o evangelho de Paulo. Obviamente, procurando conforto mental, as denominações evangélicas oferecem harmonias que se mostram absurdas. Há do que 20 trechos em Gênesis que refletem tempos depois da vida de Moisés, uma observação que faço só para jogar na mistura um fato curioso. Estou interessado na verdade não em conforto mental. É equisito ser confortável com seus erros. Considere este fato: A inspiração se manifesta em diversos níveis e maneiras:

1. Passagens ditadas: O Espírito controla a mente do profeta totalmente e coloca até as palavras certas na mente dele. Mas esta forma é somente um dos possíveis modos de inspiração. É um erro gigantesco declarar que todas as Escrituras foram inspiradas desta maneira. A investigação comprova que isto é equivocado. O AT, em alguns lugares, apresenta um Deus violento que promove a mais desgraçada violência que, dificilmente pode ser atribuida a Deus. Por causa deste fato, Orígenes inventou a interpretação alegórica justamente para tirar lições daquelas Escrituras violentas sem atribuí-las a Deus.

Considere este fato: O grego do evangelho de Marcos é o “grego da rua” não um grego de um estudioso. Este grego contém um grande número de erros gramaticais. As traduções escondem este fato já apresentando uma gramática correta na língua portuguesa. O “nois vai” do autor fica corrigido para “nós vamos”, só para dar um exemplo. Mas o do evangelho de Lucas já é um grego de um erudito médico. O grego das cartas de Paulo é um grego nativo embora incorpore algumas construções desajeitadas. O grego de Hebreus é um grego quase clássico, erudito e poético que Platão podia ter escrito. Mas o do Apocalipse é um grego de alguém que falou aramaico como sua linguagem nativa. O escritor ignora em muitos lugares a concordância gramatical, assim corrompendo o grego. Então imagine este cenário: O Espírito Santo inspirando o evangelho de Marcos vai para a rua emprestar a linguagem falada aí e coloca neste evangelho. Daí inspirando o evangelho de Lucas ele pára para receber sugestões do médico erudito. Inspirando Hebreus ele tem uma conferência com Platão para emprestar o grego dele para escrever este livro. Algum dia eu vou mandar para você um carta minha escrita em português sem ser revisada e você vai dizer que o Champlin estava me enganando com aquele bom português nas suas cartas que não é representante da linguagem dele. Assim você pode dizer que eu tenho perpetuado uma fraude. O meu português é mais ou menos comparável ao grego do Apocalipse. Falando tudo isto, eu não estou atacando o conteúdo destes livros. De fato, eles representam uma literatura extraordinária a despeito da linguagem utilizada. Agora fala para mim como estes livros foram ditados pelo Espírito Santo palavra por palavra, inspiração verbal e plena.

2. Ideias Gerais: O escritor recebe uma ideia inspirada que ele desenvolve de maneira melhor possível. O resultado depende de suas capacidades intelectuais e espirituais. Alguns destes desenvolvimentos demonstram as capacidades literárias dos escritores. Por exemplo, é claro que o apóstolo Paulo era um gênio e sua capacidade literária era excepecional (sic).

3. Através do Estudo: Anos de estudo dedicado produzem inspirações válidas, embora sujeitas a equívocos. Por outro lado, grandes passagens foram produzidas desta maneira. As cartas de Paulo demonstram o que um homem estudioso pode produzir.

4. Tradições: Não são inúteis e têm contribuido com alguns finos entendimentos. Existem tradições na Igreja que seguiram depois, especialmente, para interpretar as Escrituras. Mas tradições são sujeitas a exagero e equívocos. Considere Atos 7 – a defesa de Estevão que vem das tradições judaicas e não somente das Escrituras do próprio AT. De fato, sua defesa em alguns dos escritores e/ou seus raciocínios.

5. Interpretações inspiradas: A mente recebe intuições e raciocínios que ajudam o intérprete a entender melhor os assuntos espirituais. Sem dúvida, alguns trechos da Bíblia se resultaram das instituições dos escritores e/ou seus raciocínios.

6. Inspirações além do texto: Sendo um dom do Espírito Santo, como o dom do conhecimento (I Cor 12.8). O intérprete pode ser inspirado de vez em quando. Até pode, às vezes, receber inspirações separadas dos textos sagrados, como nas visões e nos sonhos espirituais. Sonhos fazem parte da tradição profética. A inspiração é uma função complexa que incorpora diversas modalidades. Nenhuma explicação isolada é adequada, mas algumas pessoas ficam somente com modalidades. As pessoas que promovem somente este meio de inspiração ou revelação são patéticas, porque agindo assim se mostram crianças intelectuais. É parte da minha missão declarar estas verdades.

Reconciliação com o fundamentalismo? Quando jovem, eu era um fundamentalista radical e insuportável e assim perdi alguns anos de minha vida em brigas e contendas. Abandonei este tipo de expressão religiosa como pernicioso. Minha filosofia me libertou.

7. Novas revelações? Temos o AT e o NT., magníficas coleções, mas dificilmente adequadas para sempre. Deus é maior do que coleções de livros. Podem existir outros testamentos, um terceiro, um quarto, um quinto, etc. Deus não está anulado por nossas noções piedosas. Considere: bibliolatria, a adoração de um livro. Esta idolatria rouba Deus de sua glória, colocando um ídolo no lugar de Deus. Todas as idolatrias perniciosas.

7. Revelações fora da Bíblia Hebraica e Cristã? Acredito na doutrina dos Logoi-spermatikoi, as sementes do Logos nas diversas religiões não cristãs; nas filosofias, nas ciências (exatas e sociais); na poesia, nas literaturas não especificamente religiosas; na história humana; nas instituições humanas como nos seus governos; nas culturas; na criação física, tão magnífica; até, de vez em quando, na política; nas visões e nos sonhos espirituais. Aleluia! O Espírito está em muitos lugares, plantando as sementes do Logos. Chega de limites falsos! Chega de pensamentos infantis! Chega de exclusivismos! Deixa a Luz brilhar sem interferências. Louvai o Logos-Christós, a fonte do nosso conhecimento espiritual que não se limita às nossas noções exclusivistas.

8. Universalismo? Esta doutrina ensina que todos os homens, afinal, serão salvos. Baseando-me em Efé cap. 1, acredito que os remidos serão salvos e participarão na natureza divina (II Pedro 1.4), através de sua transformação à imagem de Cristo (Rom 8.29). Acredito que o número deles será relativamente pequeno. Mas, todos os não remidos serão restaurados e todas as almas serão remidas ou restauradas.
A unidade ao redor do Logos-Cristo (Efé 1.9-10) não excluirá nenhuma alma. Os restaurados não participarão na natureza divina, mas terão uma glorificação secundárias, mas ainda gloriosa porque sera uma obra-prima do Logos.

Assim falando, valorizo a forte declaração da primeira parte de Efésios cap. 1 e a declaração generalizada dos vss 9-10. Na primeira parte deste capítulo, encontramos uma afirmação forte sobre a eleição. Eu uso a palavra remidos no lugar de eleitos porque esta palavra nos envolve em controvérsia pesada. Depois a missão de Cristo garante que existirá uma restauração generalizada (vss 9, 10). Portanto, vejo duas glórias, a primária e a secundária. Assim ensina o Mistério da Vontade de Deus que ultrapassa o resto do Novo Testamento: o que o amor de Deus fará em benefício de todas as almas. O hades mandará suas almas cativas e elas subirão para participar da unificação. Eis o Quarto Evangelho que toma o lugar dos Evangelhos inferiores, e é, de fato, uma contradição das velhas ideias que eram parciais, e parcialmente erradas. Este Quarto Evangelho é a universalização do Evangelho no qual o amor de Deus brilha sem obstáculos. Deixe esta luz brilhar. Valorizo e declaro o Amor Incondicional do Logos-Christós.

Abandonando as controvérsias, as discussões e as dúvidas, apresentadas acima, consideremos o valor intrínseco dos dois Testamentos (o AT e o NT). Obviamente, são grandiosas coleções e incorporam literatura imortal. Lendo e estudando não somente estes livros mas também aqueles de sistemas não cristãos, posso afirmar que estes dois Testamentos são mais impressionantes do que os outros, embora existam valiosas obras não cristãs. Considero o Novo Testamento a maior coleção de livros já escrita. Nosso problema não são “os problemas” mas nosso dedicado estudo do NT. Tenho dedicado minha vida a este estudo e também a outros caminhos de investigação que considero extremamentes importantes. Sumariando, considero o Novo Testamento o maior documento espiritual de todos os tempos. Esta coleção é rica, eloquente e poderosa. Quem estuda com determinação estes livros será transformados por eles.

No amor incondicional do Logos-Cristo,

Russell Norman Champlin
In: Russell Norman Champlin e o Fundamentalismo Teológico - Entrevista do Dr. Russell Norman Champlin concedida a Acir da Cruz Camargo. 05 de março de 2012

---

PS.: Ao postar a entrevista do Dr. Champlin, de forma alguma estou endossando suas posições doutrinárias ou promovendo seu novo comentário a ser brevemente lançado. Muito pelo contrário. Meu intuito é alertar os que quiserem ser alertados para a teologia que subjaz em suas obras, que é incompatível com a sã doutrina.

Clóvis Gonçalves

40 comentários:

  1. prezado irmao clovis, confesso que estou chocado com os comentarios do dr russel champlin, tive a oportunidade de conhecer alguns do seus muitos comentarios, mais depois de suas afirmaçoes e ponto de vista sobre salvaçao fiquei sem chao, sempre devendi a sã doutrina, vi muita contradiçao em seu comentario, abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Embora passa chocar os fundamentalistas religiosos, nem tudo que Champlin escreveu é absurdo.
      As, menandro

      Excluir
    2. a respeito do tema "infalibilidade da biblia, bibliolatria e a bíblia como unica fonte de Deus, extrai um texto muito interessante neste site:

      "O princípio do "olho por olho e dente por dentre " está dentro do Pentateuco (e no Código Penal Babilonico de Hamurabi, que serviu de base para o Levitico e o Deuteronomio), e portanto, compõe a Bíblia cristã. Entretanto não se alinha com os ensinamentos supremos do Mestre.
      O princípio da pena de morte ao filho rebelde; às prostitutas; às adúlteras; à mulher que não seja virgem; o apedrejamento de quem violar o sábado etc, também compõem as mais de 600 regras "espirituais" deuteronomicas.
      Conclui-se que não deverão ser defendidas como princípios cristãos, justo porque não se alinham a mensagem da cruz.
      O dogma da submissão da mulher e do macho dominante,Ex: que as mulheres se calem e não ministrem nas comunidades religiosos ( cartas de Pedro e Paulo), que correspondia, na época, a defesa de um padrão social, também não se alinha com os ensinos do Mestre ( ide por todo mundo e pregar o evangelho - seja homem ou mulher), não podendo, portanto, ser invocado com suporte da cristandade, ( vide Carta de Tiago - Deus não faz acepção de pessoas), e por aí vai.
      Por isso que a teoria da bíblia como "regra exclusiva de fé e prática" é relativa, querendo ou não, já que não há ninguém em sã consciencia, que va cumprir quaisquer dessas regras, crendo que está agradando a Deus.
      Gosto do sofisma de CAIO FÁBIO: 'A chave hermeneutica para se interpretar a bíblia é Cristo. O que não convergir Nele, deve ser rejeitado."
      Neste sentido, Sidarka Gautama ( Buda ) " Não acredite em qualquer coisa, apenas porque está escrita num livro antigo"
      A bíblia sem a visão cristocentrica é apenas um livro velho, incapaz de decifrar Deus, incapaz de salvar, incapaz de trazer paz, mas somente contenda, disperção, egolatria, xenofobia, intolerancia, preconceitos e fanatismo religioso fundamentalista.
      Deus é, e sempre será de grandeza infinita para caber somente e exclusivamente nas escrituras.
      Muitas vezes, é perceptível que o "deus do livro antigo" não corresponde ao DEUS DO UNIVERSO, CRIADOR DO CÉU E DA TERRA.
      O "deus do livro" não sabe que a terra gira em torno do sol (Liv. Josué), mas o DEUS CRIADOR SABE, pois conhece sua criação.
      O "deus do livro não sabe que vinho faz mal para úlceras e gastrites (conselho de Paulo a Tito, se não me engano), MAS O DEUS CRIADOR, QUE CONHECE SUA CRIAÇÃO, ensinou aos indígenas e aborígenes, o uso das ervas medicinais.
      o "deus do livro se deleita na morte" MAS O DEUS CRIADOR MORREU PARA NOS DAR A VIDA.
      E esta, é a equação que os defensores fundamentalistas da Sola Scriptura não consequem resolver. As divergencia entre o "deus do livro " e o DEUS CRIADOR."

      Quem tiver maturidade cristã para entender o texto, que entenda.

      Excluir
    3. Não se pode falar, nem deixar de defender que “O princípio da pena de morte de Deus no V.T não seja justo, pois em Deus não há injustiça. E, a verdade é que a Cruz deu mais significado ao caráter ofensivo à Deus a rebeldia, uma vez que toda rebeldia foi castigada em Jesus. E não só isso, mas também que a pena de morte revelada no VT não foi abolida para os que continuarem com rebeldia rejeitando a oferta da Cruz, embora de outra forma, mais serão mortos. Portanto, para aquele que rejeita, o salário do pecado continua sendo a morte. Afinal de contas foi Jesus que declarou Mat. 4:4, João 7:38,39 e João 10:35, provando que o Deus desse livro antigo que falou em Deutoronomio é o mesmo que em forma de carne, declarou o contido em Mat. 4:4, João 7:38,39, João 10:35 e: “Antes de Abraão existisse, Eu Sou”(João 8 58-Êxodo 3:14,15). Ou se fosse adepto de predestinação dupla diria que para os não predestinados para salvação, o salário dos não predestinados para serem salvos, continua sendo a morte.
      Osmar Ferreira-nadanospodemoscontraverdade

      Excluir
  2. Tenho o comentário de Champlin e conheço seus pensamentos controversos [ex.: predestinação] bem como alguns ensinos que podem ser taxados de heresia. Porém, não há no Brasil nenhum trabalho da amplitude do VTIV/V e NTIV/V. Como um "pesquisador" tenho encontrado coisas boas nos volumes de amabs coleções.

    O que aconselho, como alguém que tem o material em mãos, é que se tenha outros comentários e teologias sistemáticas para comparar as coisas.

    Por fim, é necessário que se tenha alguma maturidade capaz de se encontrar com o contraditório teológico, por mais que este seja uma tremenda heresia. Caso contrário, nem textos de Pais da Igreja [ex.: Orígenes] poderemos ter em nossas estantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho dúvidas de que você sabe separar o que presta do que não vale nada na obra de Champlin. Minha avaliação me leva na seguinte direção:

      a) a obra dele é deletéria para os que não tem condições de discernir sã doutrina e heresia gangrenosa, caso da maioria dos crentes e, sinto dizer, de muitos pastores.

      b) pelo valor da obra, não compensa, principalmente porque, se expurgá-la do material duvidoso e penso que não fica assim tão volumosa.

      Finalmente, existem boas obras, que podem ser mais concisas (ou menos prolixas), mas são mais confiáveis. Cito os comentários da Vida Nova e da Cultura Cristã como exemplo.

      Em Cristo,

      Excluir
  3. Nunca comprei esse lixo, e me sinto mal quando alguém me diz que tem os escritos esotéricos desse cara. Isso é uma prova de a quantas anda o conhecimento teológico da maioria dos seminaristas e pastores tupiniquins, pois a maioria se orgulha de ter isso.

    ResponderExcluir
  4. urgh!

    Tristemente, me lembrei do texto de 2 Pedro 3:16-18:
    "Falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição.
    Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que, pelo engano dos homens abomináveis, sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza;
    Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse versículo é o retrado da igreja evangelica, e inclusive, de quem o cita.

      Excluir
    2. OS QUE SE ACHAM DETENTORES DA VERDADE SUPREMA ADORAM CITAR ESSE VERSÍCULO DE PEDRO PARA OS OUTROS, MAS SE ESQUECEM, FREQUENTEMENTE, DE RECITÁ-LO PARA ELES PRÓPRIOS.

      Excluir
  5. Champlin é um teólogo esquisito, inclusive em sua escatologia, que parece ser premilenista com flagrante futurismo e estimativa de datas. Mesmo assim, acho importante consultar suas obras, possuindo ou não. Não por valor teológico, mas por informações históricas documentadas, que ele não tem como distorcer. Paulo nos aconselha a examinar todas as coisas e reter o que é bom. Um bom filtro exegético isola as heresias dele e retém o que há de devocional e as valiosíssimas informações históricas com citação de preciosas fontes.

    ResponderExcluir
  6. Ao Joelson.

    Meu conhecimento teológico certamente é inferior ao seu. No entanto, é suficiente para me possibilitar a fazer os escrutínios devidos.

    Longe, mas muito longe mesmo de qualquer comparação,quero destacar que Augustus Nicodemus a pouco, no Congresso de Teologia Vida Nova, disse já ter lido integralmente o Alcorão e o Livro de Mórmon.

    Certamente você já mais os lerá, pois sua teologia não pode ser contaminada. Fazes bem, visto não seres capaz de extrair verdades de um material nada ortodoxo como fez Judas com os pseudepígrafos Livro de Enoque e Ascensão de Moisés.

    Fico imaginando você estudando a Patrística e fugindo de Orígens por causa dos lixos teológicos dele. Na verdade, fazendo isso, você nunca terá estudado de fato a Patrística. A não ser que se debruce de fato sobre escritos de Orígenes, mas isso você não fará, pois és criterioso visto ser claramente passível de contágio.

    Devo concluir que estudar religiões comparads para você deve ser uma tortura, pois manter contacto intelectual com as heresias delas lhe faz um mal daqueles. Ou você nada sabe sobre elas, visto se negar a conhecê-las? Isso é que é teológo [coisa que não sou mesmo. agora, pastor, eu sou]!

    E quanto à filosofia? Estudar o materialismo histórico de Marx nem ver. Mas como saberá articular-se intelectualmente sobre a TL sem o conhecimento daquela ideologia.

    Bultmann você nunca leu, não é isso? Este é um exemplo de doutrinas saudáveis. Isto é, se tirarmos a "demitologização"...

    Ah, chega! Quer saber?

    Vá tomar banho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. depois dessa eu iria tomar um banho gelado, ele n sabe o q é teologia kkkkkk(joelson) ele é teologo ariano raça pura kkkkkkkkk

      Excluir
  7. marcos antonio, paz!

    Champlin é um teólogo esquisito, inclusive em sua escatologia, que parece ser premilenista com flagrante futurismo [...]

    Se se é esquisito por ser premilenista e futurista, Russel Shedd, George E. Ladd e Milard Erickson também são. Posso dizer de mim sem alistar-me na lista anterior dos grandes citados, que também sou esquisito.

    Sem contar que na Patrísitca o que encontramos é o Pré-milenismo clássico defendido por essa turma que citei. Claro que Agostinho, notadamente, começa a surgir conversas às avessas sobre escatologia e "otras cositas más".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um arminiano chamado Zwinglio é em si esquisito... mas quanto ao pré-milenismo, eu ainda o sou (o pós não me pareceu convincente o bastante).

      Mas não sou pré-tribulacionista, logo, já não sou tão esquisito assim. E você, é pré-trib?

      Excluir
  8. =]

    Eu tenho as Obras Champlin.Ele é um interprete muito eclético e crédulo.

    Ele traz presupostos sobre aparições de santos da Igreja católica,reeencarnações,Universalismo re-intrepretado e adapatado,possessões de pessoas por espirito de pessoas falecidas(com suas variantes,postulados ,observações,crendices ,supertições demonios e epiritos humanos simios),ensinamentos heréticos sobre os ensinamentos das Experiencias de Quase Morte,suposta Quarta Guerra Mundial,profunda considerações sobre as palavras dos misticos(cristãos ou não) e muitas outras teorias controversas.

    E alem disso,Ele faz uma compilação histórica extrordinária da História da Igreja Cristã porém também tras ensinamentos heréticos condenados pelos antigos cristãos e outras visões da cultura pagã acolhendo como verdadeiros e inspirados por Deus.

    Devemos examinar todo o conhecimento história que a humanidade nos deixou porém Champlin acaba no meio do caminho abraçando várias idéias de outras religiões,estudos cientificos modernos,paranormalidade...tecendo sua teorias,teses sobre eles como doutrina cristã ortodoxa para Igreja de Cristo que foram ignorados,condenados, pelos teólogos antigos e modernos à luz do conhecimento que posuimos hoje na


    A obra de Champlin é muito rica , proveitosa e útil para aqueles que sabem discernir a mão direita da esquerda(Ou seja,para aqueles que comparam com os vários estudos ortodoxos,apologéticos Cristãos).

    :-)

    ResponderExcluir
  9. Respostas
    1. Seria por que, sendo cinema mudo, não fala heresias?

      Excluir
  10. =]

    Mais sobre Russell Norman Champlin Por Clóvis Conçalves


    http://cincosolas.blogspot.com.br/2010/07/r-n-champlin-o-mistico.html

    :-)

    ResponderExcluir
  11. Clóvis, eu sou pós-tribulacionista convicto.

    ResponderExcluir
  12. Interessado na divulgação do pensamento e da obra do Dr. Russell Norman Champlin, figura que conheço e fui aluno de seu colega de Faculdade, e tenho por ele maior apreço, acabei encontrando a entrevista que fiz com ele, postada neste blogue. Champlin é o filósofo brasileiro da religião e da teologia. Dificilmente em nosso século existe alguém mais erudito, que tenha marcado o pensamento filosófico-teológico que ele. Estamos numa batalha para ampliar esse campo de debate e conhecimento.
    Estou exultante porque encontrei em muitas falas e comentários aqui a compreensão exata, coerente, honesta, respeitosa e aberta com as idéias contidas na imensidão da produção acadêmica do Dr. Russell. Ele deseja esse debate, no nível do respeito, da humildade, do reconhecimento nosso de que o conhecimento é questão de tempo e maturidade, caminho aberto e infinito, sem radicalismos e dogmas definitivos, coisa que não consta na metodologia de qualquer ciência decente.
    Devemos diferenciar crenças particulares, denominacionais do antiintelectualismo, de medo de enfrentar o desconhecido, do pânico em perceber que, fora do nosso grupinho seleto de pseudo-iguais, existe a discordância, pluralidade de idéias e comportamentos. Nisso cabe uma reflexão sobre o ementário dos seminários teológicos, que procuram "formar e conformar" pastores e padres no enquadrinhado de determinadas concepções teológicas que aquele grupo enxerga como viável. De maneira infantil, nosso antiintelectualismo, nos obriga a admitirmos que a Bíblia caiu pronta do céu, encadernada, com zíper, páginas numeradas, sem qualquer sentido na História, sem qualquer relação com o pensamento filosófico da época, sem contexto cultural. Esse é um ponto de partida para se entender o preconceito, a ingenuidade, o temor farisaico que se continua alimentando em relação a obra de Russell Norman Champlin. Estamos na idade das trevas do protestantismo. Acir da Cruz Camargo, acirpr@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acir,

      Obrigado por publicar originalmente a esclarecedora entrevista e por seus comentários aqui.

      Você concorda com as "crenças particulares" do Dr. Champlin, expressas na entrevista?

      Em Cristo,

      Excluir
    2. Querido Clóvis, não sendo prático com o mundo da internet, apenas hoje vi sua postagem. Partilho sim dos pontos de vista do Dr. Champlin, mas há questões aqui ou ali que tenho posição diversa. A questão para mim, é que Champlin é um teólogo, no exato rigor da palavra. O sistema religioso em geral entende teologia como a defesa de certa modalidade de cristianismo. Champlin fundamenta-se na história, os conceitos, mesmo que bíblicos tem história nas outras civilizações. Eu penso diferente, apenas nas questões do conservadorismo moral e político do pensador brasileiro. Mas isso não me impede de engajar-me na divulgação da grandeza de seu pensamento. Teologia não é algo fechado, mas um conhecimento em caminho.
      acirpr@hotmail.com.

      Excluir
  13. Eliseu da Silva Loura5 de abril de 2012 23:51

    R.N.Champlin é um erudito no conhecimento bíblico. Para mim sua erudição se compara a do Dr. Caramuru Afonso Francisco. consulto sua obra com frequência. Porém, como qualquer humano, ele não é perfeito. Quem o é? Eu creio piamente na existência do inferno e na condenação eterna dos perdidos. Só pra lembrar: quem criou o inferno não foi o Diabo e quem nos revelou a existência do sofrimento eterno foi Jesus que também nos ensinou sobre o pecado imperdoável em todas as futuras Eras. Outra coisa que quero lembrar: O sofrimento de Jesus na cruz, em nosso lugar, demonstra a severidade da justiça de Deus e rejeitá-lo, de forma consciente, compara-se ao pecado imperdoável. O Evangelho é uma mensagem simples. Salvação/perdição; Ceu/inferno; Deus/Diabo. O que acontecerá na eternidade futura não está claro na bíblia, pois Paulo diz que a nossa visão do futuro é embaçada. Como explicar claramente o futuro se a nossa visão dele é imperfeita, inclusive para os próprios autores sacros? Acho perigoso afirmarmos coisas baseadas em nossos desejos, sentimentos, inteligências etc. Para não cairmos em heresias, contentemos com a nossa missão no presente(a pregação do evangelho simples) que, na nossa geração, está cada vez mais difícil. Um abraço a todos. Eliseu.

    ResponderExcluir
  14. Tenho as obras do Dr. Champlin e são de uma riqueza e profundidade impressionantes. A questão é que ele foi sincero o suficiente para expor idéias diferentes sobre os mais diversos assuntos teológicos, com as quais muitos não se sentem confortáveis. Mas elas precisam ser expostas. E o Dr. Champlin como excelente expositor, não se esquivou desse mister. Infelizmente a mentalidade teológica brasileira é medíocre. Tanto isso é verdade que somente de uns 20 anos para cá é que obras teológicas de vulto e qualidade começaram a chegar ao Brasil em nosso idioma. Ele, pelo menos teve a força de vontade, determinação e coragem em extrair o melhor do conhecimento teológico e produzir obras de vulto como a Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. NINGUÉM teve a coragem de fazer o que ele fez, mesmo tendo dinheiro, recursos e gente para isso. Infelizmente os líderes da teologia evangélica brasileira sempre preferiram a pobreza intelectual pois é bem mais fácil manipular e dominar a mente daqueles que se submetem às suas lideranças religiosas. Ele não teve e não tem medo de expor idéias e pensamentos teológicos variados por mais estranhos e controversos que possam parecer a princípio. As obras dele, na realidade, refletem a ampla gama do pensamento teológico desenvolvido há séculos e que continua e continuará a ampliar-se até que "chegue o que é perfeito". (1 Cor. 13) Abaixo a mediocridade na teologia brasileira!

    ResponderExcluir
  15. O nosso querido teólogo, ex-professor da Unesp, já está com um novo comentário bíblico para os povos de língua portuguesa. A carta que recebi dele está postada neste link:
    http://russellnormanchamplin.blogspot.com/b/post-preview?token=AowRzDgBAAA.mWuGnvMFoMbCWtFp1-ZvjQ.cEO2NmXv53YPAimMF1mEzQ&postId=4504905681533128772&type=POST

    ResponderExcluir
  16. e esse russel existe mesmo? entrevista por cartas nunca vi a cara dele ja vi muitos gringos ate pannenberg q ja ta velho mas esse ai é igual a cabeça de bacalhau diz q tem mas ninguem viu kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, existe. Também nunca o vi, mas vi uma video com um filho dele.

      Em Cristo,

      Excluir
  17. Para mim, o nível mais alto de que um filósofo/teólogo (tratando-se da área de pesquisa e elaboração de texto) pode chegar é quando ele expõe todos os pontos de vistas existentes do assunto abordado. No caso do Dr. Champlin, percebe-se que ele procura apresentar as principais teses/teorias explicativas em relação aos versículos ou assunto abordado. Fácil é defender uma linha teológica/filosófica, mas o difícil é explicar as outras linhas no mesmo nível de excelência, não escondendo ou manipulando informações relevantes. Em síntese, percebe-se que como disse um comentarista, no Brasil, ainda vivemos um período de trevas em relação a elucidação teológica cristã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Além do Champlin, há outros teólogos que são hábeis em apresentar as opções interpretativas de uma determinada passagem ou doutrina. O problema com o Champlin, ao meu ver, é que ele não faz uma clara distinção entre a sã doutrina e as variações delas, quando não assume uma destas como a dele.

      Em Cristo,

      Excluir
    2. Claro que a famigerada são doutrina é a que a presbiterianos ensina? A sã doutrina católica? A biblica? Então voltamos ao início? A são doutrina bíblica é aquele ensina a presbiterianos ou a católica ou a batista... Chega deste fundamentalismo teológico e religioso. Quantas coisas há trinta, quarenta anos atrás não era permitido em igrejas chamadas históricas baseado na tal são doutrina e hoje são permitidas. Que fizeram o calvinismo, os batistas com a são doutrina? Hipocrisia pura.

      Excluir
  18. Ja todas obras dele, tenho mesma visao dele, nao me arrependo, ondeio povo pentencostal ignorante que nao gosta de uma boa leitura historica,espiritual,intalectual obra dele é de A-Z tudo tem fundo de verdade.

    ResponderExcluir
  19. Gostaria de colaborar com a minha opinião sobre o assunto ventilado aqui.

    Eu tenho a obra deste autor e depois de examinar em parte o seu conteúdo, cheguei a seguinte conclusão:

    1. Sua informações históricas e culturais são importantes e aproveitáveis.
    2. Suas avaliações a respeito do sobrenatural na ótica da ciência deixar a desejar.
    3. Sua interpretação de texto em parte é falível como de qualquer um, coerente em certos textos, imparcial em alguns textos, tendencioso em outros textos e herege em outros.
    4. Sua exposição doutrinária em certos assuntos é coerente, bíblico, imparcial e equilibrado. Em outros assuntos ele é incoerente, antibíblico, parcial e herege.

    Para sua obra recomendo a exortação de Paulo: "Ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom".

    Como ele, sabemos que alguns pais da igreja e reformadores escreveram coisas que não concordamos, no entanto temos alguns dos seus livros.

    Creio que toda obra que visa interpretar a Escritura é falível por vários motivos e de Champlin não é diferente.

    Não concordo com o pensamento dele que foi exposto aqui no blog, entretanto ao meu ver isso não compromete totalmente a sua obra.

    Acredito que ninguém aqui concordou 100% com algum comentário bíblico ou com alguma comentarista.

    Muitas coisas que os calvinistas, arminianos, batistas, metodistas, pentecostais ensinam, ele também ensina. É só pegar a obra dele e examinar os textos que dão base aos assuntos mais importante de cada corrente teológica.

    Portanto, para quem deseja estudar, pesquisar e analisar uma passagem bíblica, não vejo nenhum problema em consultar a obra de Champlin, desde que tenha um cuidado de julgar e reter o que é bom, como em qualquer outra obra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renato,

      Obrigado por sua análise, me pareceu bem consistente. Porém, temo que boa parte dos que recorrem à obra do Champlin tem esse discernimento e são capazes de separar a verdade do erro.

      Em Cristo,

      Excluir
    2. Alexandre Maximiliano.

      Concordo com avaliação do Renato.

      Excluir
  20. A palavra de Deus ensina que devemos absorver o que é verdadeiro e deixar o que não é bom. E o fato de não ser bom para você, não quer dizer que não vai ser bom para outros. Nós temos em nossa cultura diversasdenominações e elas se divergem em vários assuntos, quando na verdade o Deus é um só. Leio esta obra e a vejo como uma obra extremamente intelectual. Apesar de não concordar com tudo. Nem O Senhor Jesus agradou a todos. mas tenho aadquirido um bom entendimento. As pessoas inteligentes nunca serão preconceituosas, pois sempre saberão discernir, ao contrário do povo de Nínive, a mão direita da esquerda. Apaz do Senhor para todos!

    ResponderExcluir
  21. Clóvis parabéns pelo blog.

    Olá meu amigos, paz.
    Li todos os comentários no blog e vi que muitos tem duvidas e relação as obras de Champlin
    Tenho por mim, que cada um tem um pensamento e nunca ceremos igual, devemos pegar oque a de bom em suas obras e deletar os não nos-convém.

    E de maneira nem uma devemos tentar intender de onde veio tanta sabedoria.
    Um pessoa sem conhecimento não escreveria todos essas obras.

    Antigo Testamento interpretado versículo por versículo. São Paulo: Hagnos.
    Como descobrir o sentido dos seus sonhos. 152 páginas. São Paulo: Nova Época Editorial.
    Estamos entrando agora nos quarenta anos finais da Terra? 272 páginas. São Paulo: Nova Época Editorial.
    Evidências científicas demonstram que você vive depois da morte. 275 páginas. São Paulo: Nova Época Editorial.
    Novo Testamento interpretado versículo por versículo. 6 volumes. São Paulo: Hagnos.
    O homem que sabia. São Paulo: Nova Época Editorial

    acredito que muito escritores teólogos usados por Deus mas lembramos que o inimigo de nossa alma quer destorce a maior obra de todas

    A Bíblia Sagrada

    Abraço a todos

    ResponderExcluir
  22. acredito que o dr camplin não é a palavra final sobre as escrituras. td bem, mas vejo tbem que a maioria de nós nem leu a bíblia toda 10 vezes, nem no seminário, nem corridamente nem analiticamente. não podemos ser levianos e tecer comentários tão prontos sem no mínimo ir a fundo em cada posição defendida por ele. vejo que uma pessoa que já leu a bíblia tantas vezes, dedicou sua vida, leu em inglês, em hebraico, em grego, em português e sabe lá em que língua, ainda por cima tem uma análise pra cada versículo, exposta à opinião pública por anos a fio, simplesmente não pode ser desconsiderado e atacado com palavras às vezes tão baixas, e com tanta intolerância, com comentários razos, sem argumentos fundamentados e até sem a devida reflexão !!! eu o respeito enquanto pensador e investigador, porque é o que Jesus Cristo manda fazer...investigar...analisar as escrituras é isso...buscar como se busca um tesouro, não está na superfície, está escondido...(lógico que para cada um está diretamente ligado à abertura de seu coração e à prontidão em ouvir o Espírito Santo). pessoalmente creio que há uma mensagem para cada coração independente do significado geral da palavra - é o sobrenatural que nos escapa a inteligência, porém a doutrina deve ser estudada sem acharmos que já somos varões perfeitos(do contrário nos fechamos para o conhecimento). quando fala conheçamos e prossigamos em cnhecer a Deus ... é que não há fronteiras para isso. Ele é infinitamente maior do que nos revelou até agora...conhecemos e profetizamos em parte... e se não pensarmos além do que devemos de nós mesmos o conheceremos.finalizando, No meu pequeno entender (que ainda não é final), não existe certo e errado - existe BEM E MAL.

    abç a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. dsret,

      Você disse que "não existe certo e errado". Então, você estaria "cerrado"?

      Em Cristo,

      Excluir
  23. Nunca comprei esse lixo, e me sinto mal quando alguém me diz que tem os escritos esotéricos desse cara.

    ResponderExcluir

"Se amássemos mais a glória de Deus, se nos importássemos mais com o bem eterno das almas dos homens, não nos recusaríamos a nos engajar em uma controvérsia necessária, quando a verdade do evangelho estivesse em jogo. A ordenança apostólica é clara. Devemos “manter a verdade em amor", não sendo nem desleais no nosso amor, nem sem amor na nossa verdade, mas mantendo os dois em equilíbrio (...) A atividade apropriada aos cristãos professos que discordam uns dos outros não é a de ignorar, nem de esconder, nem mesmo minimizar suas diferenças, mas discuti-las." John Stott

Sua leitura deste post muito me honrou. Fique à vontade para expressar suas críticas, sugestões, complemetos ou correções. A única exigência é que seja mantido o clima de respeito e cordialidade que caracteriza este blog.